Como Fazer Vinho Quente?

Como esquentar o vinho?

Volta e meia nos deparamos com vinhos muito frios para serem degustados. Isso acontece, principalmente, quando os deixamos na geladeira de um dia para outro. Invariavelmente a temperatura do vinho estará entre 6 e 9 graus. Para os vinhos brancos isso não é problema, pois em menos de 5 minutos ele estará na temperatura ideal para servir.

  • Já os vinhos tintos, ficam desagradáveis quando muito gelados e precisam de mais tempo para atingir a temperatura de serviço.
  • Além disso, se o vinho estiver muito gelado, esse processo pode demorar mais de 15 minutos.
  • Caso você tenha paciência e tempo, não há problemas, no entanto, esse pode não ser o seu caso (me incluo nesse grupo).

E agora, o que fazer? Eu sei que posso ser condenado a passar o resto dos dias no purgatório de Baco e Dionísio, mas aqui vai: MICROONDAS!!!** Isso mesmo, coloque o vinho em um copo de vidro e o aqueça no forno de microondas por 5 a 7 segundos de cada vez, provando após cada período.

  1. O vinho vai aquecer rapidamente, sem perder as suas propriedades.
  2. Normalmente, uma vez é o suficiente.
  3. Ah vá.!!!! Muitos restaurantes fazem isso, mas negam até a morte, já que os enochatos os condenariam à morte, quero dizer, à falência.
  4. Os restaurantes que têm máquinas específicas não precisam fazer isso, mas os que mantém vinhos na geladeira, não têm outra saída.

Aliás, foram eles que inventaram essa história, não eu. Na dúvida, faça o teste em casa. Cheers! ** Por se tratar de um tema polêmico, aqui vão alguns links sobre forno de microondas e vinho.1ª sugestão 2ª sugestão 3ª sugestão A ideia dessa coluna semanal é discutir, mesmo que rapidamente, aspectos práticos e interessantes sobre o infinito tema do vinho, de uma maneira descontraída e relaxada.

Afinal de contas, vinho é sinônimo de prazer, amizade e descontração. Além disso, por ser um tema tão vasto, sugestões e dúvidas são muito bem vindas e servirão para nos guiar sobre o que o leitor quer discutir. Ricardo Leite Ganc é médico formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Membro Titular das Sociedades Brasileira e Americana de Endoscopia Digestiva. Membro da Associação Brasileira de Sommeliers – São Paulo. Enófilo apaixonado há 15 anos. Ricardo Ganc escreve às sextas-feiras aqui no Universo Jatobá. Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá! Quero receber! Quero receber!

Como é que se faz o vinho?

Como o vinho é feito – infográfico. Veja mais infográficos aqui. O vinho é feito a partir do mosto de uva, que passa por um processo de fermentação natural através da ação de leveduras que transformam açúcar presente na uva em álcool e gás carbônico. Quando não há mais açúcar no líquido, as leveduras morrem e a fermentação termina.

Leia mais sobre a doçura do vinho. Após a fermentação o vinho é prensado e encaminhado para o estágio, período em que a bebida repousa e desenvolve as características pretendidas pelo enólogo até o momento do engarrafamento. O estágio pode ser feito em barricas ou barris de madeira, cubas de aço inox, ovos de cimento ou até mesmo nas próprias garrafas.

O enólogo é o responsável por definir como o vinho é feito. O profissional acompanha todas as etapas de produção até o engarrafamento do vinho. A forma de elaboração do vinho pode variar de acordo com o tipo de vinho desejado, as regras da região onde a bebida é produzida, os tipos de uva ou castas utilizadas e a qualidade das uvas em determinada safra.

Qual a diferença do quentão e do vinho quente?

Basicamente, o que difere o quentão de vinho quente é que o primeiro leva cachaça, e o segundo leva vinho (como o próprio nome sugere) em sua receita.

Qual vinho comprar para fazer quentão?

Quentão de vinho branco – Já para o quentão de vinho branco, não há muito mistério: em todas as receitas citadas acima, o vinho pode ser substituído por um vinho branco. No entanto, a preferência deve ser sempre por vinhos brancos adocicados, pois eles combinam mais com os demais ingredientes colocados no quentão.

São alguns exemplos o Altivo Classic Chardonnay 2021, Castellanovo Bianco e o Finca Traversa Sauvignon Blanc 2021, todos bastante leves e fáceis de beber, com acidez agradável. Mas, para não perdermos o costume, anota aí a receita certinha de um delicioso quentão de vinho branco – dessa vez com a refrescância do gengibre.

É só juntar meia xícara de chá de açúcar em uma panela no fogo baixo até que ele derreta. Em seguida, acrescente um litro do argentino Que Guapo Branco 2021 e mexa bem. Para finalizar, complete com cravos da índia a gosto e uma raiz de gengibre. Tampe a panela e experimente levantar fervura em até 10 minutos.

Pode ferver o vinho?

Conheça seu objetivo – Considere se o vinho será usado para criar sabor e textura ou apenas para um apelo visual. Pense sobre o prato final e como serão seu sabor e sua aparência. “Geralmente, você coloca o vinho para ferver e vai mexendo para que o álcool evapore”, explica Kreuther.

“É realmente o líquido que importa quando usamos a bebida alcoólica. Quando você elimina o álcool, dá mais corpo ao vinho”. É a redução do vinho, resultado desse processo, que é de fato adicionada à receita. “É melhor usar um vinho tinto bem escuro. Um vinho vermelho claro e sem corpo não vai adicionar muito ao prato.

Se escolher o vinho branco, saiba que o que conta é o sabor e o aroma. Em um molho, o vinho confere acidez e leveza, e deixa a comida mais saborosa”. Bebidas com teor alcoólico alto e sabor forte podem contribuir bastante para o sucesso de um prato. Quando você prepara uma terrine de foie gras, por exemplo.

  • Conhaque, vinho do Porto branco ou um vinho mais doce, como o Sauternes, resultam em um sabor muito interessante e com mais suculência.
  • Aí, vêm os temperos: é preciso harmonizá-los com o vinho.
  • Tudo isso eleva o prato”, explica o chef.
  • Embora Kreuther afirme que qualquer bebida alcoólica possa ser utilizada, é necessário que o cozinheiro tenha claro o sabor que quer atingir para fazer a escolha certa.

“Acho que qualquer bebida pode ser usada, mas é melhor não utilizar as que têm teor alcoólico alto demais. Isso pode destruir a receita. O objetivo é sempre realçar e destacar os sabores”.

O que acontece se eu ferver o vinho?

Quais os principais processos utilizados para a retirada do álcool do vinho? – Fervura Importante observar nesse processo que o ponto de ebulição do álcool é 78°C contra 100°C da água. Portanto, ao aquecer o vinho a essa temperatura, consegue-se promover a evaporação do álcool mediante a fermentação das uvas.

You might be interested:  Como Consultar O Auxílio Brasil?

Para manter as qualidades do vinho, alguns produtores investem na fervura a vácuo, minimizando a temperatura e o tempo necessário para se chegar ao vinho desalcoolizado. Assim, é possível manter os sabores e as características originais. Osmose reversa Apesar de ser mais caro, esse processo é considerado mais eficaz que a fervura no que diz respeito à conservação das propriedades e características do vinho.

Neste caso, a bebida é filtrada, de forma que o álcool e a água são retirados do composto. Posteriormente, esse material passa por uma etapa de destilação, que visa separar o álcool e retirá-lo da solução. A água, totalmente separada, é recolocada no vinho e o álcool é descartado.

Destilação a vácuo Trata-se de um processo realizado sob pressão atmosférica reduzida. A temperatura de ebulição da bebida é atingida quando a pressão de vapor se iguala à pressão externa. É possível diminuir artificialmente a pressão sobre o líquido para fazer a destilação a uma temperatura inferior ao ponto de ebulição normal.

Isso faz com que a temperatura para a evaporação do álcool seja menor. Com esse processo, o álcool é praticamente todo extraído do vinho por meio da mudança de pressão.

O que acontece quando ferve o vinho?

Ideal para o inverno – O quentão serve como uma saborosa bebida para brindar e comemorar o inverno. Tradicionalmente, também é servido durante as quermesses e festas juninas, que se realizam por todo o Brasil no período mais frio do ano. São as tradicionais festas comemorativas em homenagem aos santos, como o Santo Antônio, São José e São João. O quentão Neste rigoroso inverno que invadiu o solo brasileiro, o mais rigoroso dos últimos 50 anos, pode muito bem ser aquecido com um aconchegante quentão, quer seja com a família, quer seja com os amigos ou mesmo com os colegas de trabalho. Por ser aquecido, o álcool evapora e assim pode ser consumido também por crianças, no local de trabalho e por pessoas com restrição ao álcool.

Precisa de água para fazer vinho?

A importância da água no cultivo das videiras Entre os fatores que influenciam diretamente na qualidade de um vinho, a importância da água é inquestionável. Sem ela, o cultivo das vinhas torna-se praticamente inviável. As videiras necessitam anualmente de, em média, 500 milímetros (mm) de água para que as folhas possam promover a fotossíntese e as uvas amadureçam.

Sob temperaturas mais quentes, essa média de precipitação sobe para 750 mm a 1.200 mm, já que a evaporação dos solos e a transpiração das folhas aumentam. Contudo, há muitas regiões vinícolas que recebem menos chuva do que isso A solução encontrada pelos produtores é o uso da irrigação para compensar a escassez.

Para termos uma ideia do que a seca é capaz de acarretar, uma videira com falta de água entra em estresse hídrico e, consequentemente, produz uvas menores, com casca mais grossa. Isso resulta em uma redução na produção, mas também pode proporcionar vinhos com maior concentração de sabor e cor.

Por isso, em lugares com pouca chuva, a irrigação é importante, mas deve ser feita com restrição. Vinhedos que recebem muita água se tornam desfavoráveis à produção de bons vinhos. Além de melhorias na qualidade da uva e da bebida, o uso moderado e racional da água representa uma economia, proporcionando maior rentabilidade ao vinicultor.

Veja abaixo alguns exemplos de utilização da água em regiões produtoras de vinho: O uso da água em vinhedos Irrigação por gotejamento (mangueira com micro-furos)

Porque coloca água no vinho?

A limpeza do paladar – Dependendo da variedade de vinhos que você está provando, a água é um fator crucial para efetuar a limpeza do seu paladar. Quando você está degustando diferentes vinhos em uma mesma ocasião, é imprescindível que você tome um pouco d’água para efetuar a limpeza do seu paladar.

  1. Assim, os sabores das bebidas não vão interferir uns nos outros.
  2. O mesmo vale para um jantar ou um almoço.
  3. A taça de água também serve para limpar o gosto da refeição, deixando o caminho aberto para os aromas e sabores dos vinhos,
  4. Dica: Entenda o que é a análise sensorial do vinho e como ela é feita É comum em algumas perfumarias cheirar um pouco de café entre um perfume e outro.

Sendo assim, também é praxe entre os apreciadores, tomar uma taça de água mineral no intervalo de dois vinhos distintos, Dessa forma, é eliminado o sabor remanescente na boca para partir para a próxima degustação.

Por que se bebe vinho com água?

ENTENDA A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA ENQUANTO DEGUSTA O VINHO Fabenne – 11/07/2022 Aqui estamos mais uma vez! E dessa vez para falar sobre um costume muito interessante que muitas pessoas têm: o de tomar água enquanto degustam vinho. Você faz isso? Ou já viu alguém fazendo, mas não faz ideia do por quê? Calma.A Nonna vai te explicar com todos os detalhes qual é a importância de tomar água enquanto se degusta um vinho, se isso impacta na degustação ou se é só chique mesmo.

  • Vamos lá? Buona lettura! Será que é pra evitar a ressaca? Se você é um pouquinho mais velho, com certeza já deve ter ouvido aquela frase “onde há uma garrafa de vinho, há também um jarro de água”.
  • Há quem diga que a presença da água junto à degustação das mais variadas bebidas alcoólicas é justamente para evitar a tão temida ressaca, já que a mesma acontece por conta da desidratação do organismo.Mas será que é só isso que a água faz durante a degustação de vinho? Vamos ao embasamento científico Como a Nonna gosta de embasar todos os conhecimentos que traz até você, neste caso não poderia ser diferente, né? Vamos aos fatos: o vinho e outras bebidas alcoólicas são altamente diuréticas, isso quer dizer que ele tende a contribuir para a eliminação de líquidos do nosso organismo.

Entre outros incômodos, a falta de água pode intensificar a sensação de ressaca, para aqueles que bebem um pouquinho a mais. Ou seja, mesmo contendo água em sua composição, ainda assim o vinho pode causar um grande estrago no seu organismo quando não consumido com uma aguinha nos intervalos.

Ou seja, esse consumo não é apenas para tornar o seu pedido mais chique em um restaurante ou casa de vinhos, mas sim para te prevenir contra uma ressaca daquelas! Limpando o paladar Além de te manter hidratado enquanto você se diverte entre as taças de vinho, a água tem ainda outro objetivo: o de ajudar a limpar o seu paladar.

Principalmente se você estiver degustando diferentes variedades de vinho, é importante que seu paladar esteja limpo entre um e outro.E, quando se fala em limpeza, não existe nada melhor do que uma aguinha, não é mesmo? Aqui é válida a mesma lógica adotada em algumas perfumarias que oferecem café para os clientes cheirarem entre um perfume e outro.

Mas com isso surge outra dúvida. água com ou sem gás? Melhor com ou sem gás? Dizem que você finalmente desbloqueou a fase adulta da vida quando finalmente passa a gostar de água com gás. Mas se você ainda não chegou a esse nível, não se preocupe, a Nonna tem uma boa notícia para você: a água sem gás é a mais indicada para limpar o paladar entre as taças de vinho, já que é a que menos interfere no sabor do mesmo.Mas se você é um adulto amante de água com gás, nada impede que ela faça parte da sua degustação, tá? De acordo com a etiqueta, não existe nada especificado quanto ao tipo de água que deve ser servido durante a degustação, apenas a recomendação quanto à possível alteração de sabor no caso da água com gás.

Vem de Fabenne! Agora que você já sabe da importância de ter sempre uma água (com ou sem gás) para acompanhar suas boas taças de vinho, nem precisamos dizer que as melhores opções de vinho você encontra aqui na Fabenne, né?. tudo para deixar seus jantares, noites de jogos ou simplesmente dias mais felizes e acompanhados de um ótimo vinho da Serra Gaúcha.

You might be interested:  Como Saber Se Meu Auxílio Brasil Foi Aprovado?

Quando faz o quentão o álcool evapora?

Festa Junina: posso beber quentão e dirigir meu carro? Veja o que diz a lei Foram dois anos seguidos sem festas juninas e, por isso, o mês de junho foi bastante movimentado com essa tradição. O Dia de São João é comemorado hoje, com promessa de muitas quermesses pela frente.

Sendo assim, vale responder a dúvida de muitas pessoas: posso beber vinho quente ou quentão, bebidas típicas da data, e dirigir? Você já deve ter ouvido alguém dizer que na hora do preparo das bebidas, o álcool da cachaça ou do vinho evapora, uma vez que foi fervido. Essa seria uma excelente notícia para os motoristas pensando na (e principalmente, claro, na segurança – se beber, não dirija), mas a realidade é que não é bem assim.

Você está certo se pensa que o ponto de ebulição do álcool é menor do que o da água (78ºC) e, portanto, ao ferver o líquido a substância vai evaporar. Contudo, ao misturá-lo com água, frutas, açúcar, gengibre, ele não vai evaporar sozinho. “Existe um erro em achar que você vai colocar o álcool para evaporar e ele vai evaporar sozinho numa mistura que tem água.

  • Eles formam um composto chamado azeotrópico.
  • Pela polaridade que existe no álcool e a polaridade que tem na água, eles ficam ‘unidos’, e o vapor que faz quando você está esquentando o vinho quente ou quentão não tem só o álcool, mas tem água também.
  • O ponto de ebulição se mistura”, explica Rogério Machado, professor de Química da Escola de Engenharia do Mackenzie.

O professor explica que o quentão acaba sendo mais “perigoso” do que o vinho quente, já que a concentração de álcool na cachaça, produto utilizado na bebida, é bem maior do que no vinho. “A quantidade de álcool diminui durante o preparo? Claro que sim, mas não é uma queda exacerbante.

  • Ou seja, não acabei com o álcool, aquilo continua sendo uma bebida alcoólica”, diz o professor.
  • Já no caso do vinho quente, os ingredientes são os vilões.
  • A água absorve as substâncias sólidas que estão na mistura, como gengibre, cravo, frutas, deixando a ebulição mais difícil.
  • Evapora muito pouco álcool durante o preparo”, explica Rogério Machado.

Ou seja, se a preocupação for evitar ser pego em alguma blitz, sob aspecto algum você deve consumir as bebidas típicas nas festas juninas. “Tomar um vinho quente e fazer um teste do, possivelmente vai trazer um resultado ruim ao motorista. Não se aconselha nunca uma bebida alcoólica antes de dirigir, mesmo que colocada para evaporar”, finaliza.

Como fazer para queimar o álcool do quentão?

Em uma panela alta, deixe os ingredientes ferverem em fogo baixo, com a tampa semiaberta. Quando levantar a fervura, com cuidado risque um fósforo para queimar o álcool e dar o aroma de caramelo queimado.

Qual o teor alcoólico do quentão?

Detalhes – Bebida típica da região e das festas juninas, o Quentão Campo Largo tem a mistura de vinho com especiarias como laranja, cravo e gengibre. Pronto para beber, pode ser bebida naturalmente mas quando aquecida revela o melhor dessa combinação deliciosa, evidenciando os aromas e sabores. Harmoniza com pipoca e quitutes juninos. Teor Alcóolico: 7,5% Vol.

Quem pode tomar quentão?

Para todos: quentão sem álcool para menores de idade – RIC Mais Bebida típica de festas juninas, o quentão muitas vezes fica de fora do de crianças e adolescentes que não possuem idade para beber, além de ser uma ótima opção para grávidas e quem está evitando bebidas alcoólicas.

500ml de suco de uva500ml de água500g de açúcar100g de gengibreCanela em pau 1g de cravo2 limões (rodelas)

Aqueça o suco e a água em uma panela e acrescente os demais ingredientes em um sachê de pano de prato na panela. Deixe ferver e está pronto o quentão sem álcool.30 mar 2023, às 18h38.

ReceitasCulinária2023-03-302023-03-30BrasilBeatriz Tsutsumi

Mostrar próximo post Carregando : Para todos: quentão sem álcool para menores de idade – RIC Mais

Em qual copo se toma quentão?

Caneca – Uma bebida quente precisa de um copo grande que facilita a manutenção da temperatura por mais tempo, Além disso, ela precisa ser confortável para segurar e não queimar a mão. Por isso é que chás, cafés, chocolates quentes e drinks com essas bebidas são servidos em canecas.

Qual copo para quentão?

Copo Térmico Isopor 300 Ml kit 100 Unidades descartáveis, para Café,Quentão,Assai.

O que fazer para tirar o álcool do vinho?

Com a intenção de preservar as características originais da bebida, alguns produtores apostam na fervura à vácuo, que facilita o processo de desalcoolização. Neste caso, ao aquecer o vinho à temperatura citada acima, é possível realizar a evaporação do álcool sem interferir na integridade da bebida.

Quanto calcular de quentão por pessoa?

Se você vai preparar uma recepção na sua casa e quer saber como calcular a quantidade de bebida por convidado, saiba que, em média, 600 ml de quentão servem até 12 pessoas. Agora é só escolher a receita de quentão que você mais gostou e se prepará-la para os seus convidados.

Qual é o benefício do quentão?

INVERNO ? Com quentão e sem resfriado. Inverno é época de frio e também das tradicionais festas juninas. Também é durante esses meses que consumimos alguns alimentos diferentes do as outras épocas. O quentão faz parte destes alimentos. Quentão nada mais é do que vinho quente, com canela e mais alguns ingredientes.

Estudos comprovam que a ingestão moderada de vinho tinto reduz o risco de doenças cardiovasculares, doenças respiratórias e demências, ajuda na digestão e até fortalece os ossos. “Todos esses benefícios estão relacionados aos potentes antioxidantes presentes na casca e nas sementes da uva”, explica a nutricionista Myrla.

Uma taça de 120 ml de vinho tinto tem aproximadamente 86,50kcal. A quantidade recomendada é de uma taça de vinho para mulheres e até duas para homens por dia. Quem quer aprender a fazer quentão? Preste atenção nos ingredientes. Depois é só misturar tudo na panela e servir!

Ingredientes 600 ml de cachaça 600 ml de água 2 xícaras de açúcar 1 colher de sopa cheia de gengibre Casca de 2 laranjas Casca de 1 limão Cravo e canela em pau

Lembrando que o vinho é uma das bebidas que você pode ingerir sem peso na consciência durante o inverno. Só não pode exagerar na quantidade, e lembre-se: se beber, mesmo que seja quentão, não dirija! : INVERNO ? Com quentão e sem resfriado.

Qual melhor vinho para cozinhar seco ou suave?

Doçura – Em geral, os vinhos para cozinhar devem ser secos, Porém, alguns pratos requerem a doçura da bebida, como alguns molhos e as sobremesas. Então, nesses casos, é permitido usar os estilos suave e licoroso, Qual é a melhor bebida para acompanhar com prato feito com vinho ? O próprio vinho ! A dica aqui é usar o mesmo exemplar tanto na receita quanto para harmonização,

Assim não tem erro. Aliás, essa dica também vale para outras bebidas que também integram vários pratos, como o café e a cerveja, É muito importante conhecer os estilos de vinhos para cozinhar. Cada receita pede a bebida para acrescentar alguma característica específica, sempre potencializando o sabor do prato.

Veja como harmonizar os vinhos com os ingredientes.

You might be interested:  Como Saber O Imei Do Celular?

Qual vinho combina com calor?

Qual é o melhor vinho para o verão? – De modo geral, os melhores vinhos para o verão são espumantes, brancos e rosés. Além disso, os tintos de corpo leve a médio e frutados também são ótimas alternativas desde que você os sirva frescos. Além disso, outra característica dos vinhos refrescantes são suas castas.

Qual vinho combina com o calor?

O verão, com seus dias quentes, é um inegável convite para bebidas refrescantes e tomar vinho no calor pode não ser a primeira opção. Cervejas e drinques leves, frutados e com bastante acidez (aquela sensação que faz salivar e que torna a bebida mais palatável) costumam ser bebidas convidativas para o verão, mas vinhos também podem desempenhar muito bem esse papel.

  1. Rótulos que harmonizam com uma tarde na praia, na piscina ou ainda um jantar numa fresca noite de verão não faltam.
  2. Espumantes, brancos e rosés costumam ser as melhores opções porque reúnem algumas características que combinam com o calor: teor alcoólico mais baixo, menor estrutura e corpo (que dão aquela sensação que preenche a boca), acidez elevada e, sobretudo, se prestam bem para serem servidos mais geladinhos.

Isso não quer dizer que os tintos fiquem de fora do páreo. Há muitos rótulos deste estilo elaborados para serem tomados ainda jovens, com muita vivacidade, frutas frescas e ideais para serem apreciados numa temperatura entre 13ºC e 16ºC, que já traz um alívio num dia de calor.

A temperatura é a chave para apreciar um vinho no verão, Nada de servir a bebida em temperatura ambiente, independente do estilo. “Vinhos com bastante acidez, ou seja, que fazem salivar a boca e convidam a beber mais um gole, são as melhores opções para os dias mais quentes. A temperatura de serviço também é essencial: quanto mais geladinho, mais fácil de se apreciar.

Por isso, espumantes, brancos e rosé são ideias para o verão porque devem ser servidos bem resfriados”, explica Paulo Justus, coordenador de vinhos da Porto a Porto. Os espumantes e os brancos leves, como os Vinhos Verdes de Portugal, são os que podem ser tomados mais geladinhos, numa temperatura entre 3ºC e 7ºC, segundo o guia Wine Folly,

Ou seja, tire da geladeira e sirva: na taça o vinho alcançará a temperatura ideal. Enquanto isso, mantenha a garrafa refrigerada num balde com água gelada e gelo. Rosés e brancos mais encorpados podem ser servidos entre 7ºC e 13ºC. Isto é, após retirar a garrafa da geladeira, espere alguns minutos antes de apreciar.

Também neste caso, acondicione o vinho num balde com água gelada e gelo e vá se servindo aos poucos, evitando encher a taça mais que o necessário para que a bebida esquente.

Qual melhor vinho para festa junina?

5 DICAS PARA HARMONIZAR COMIDINHAS DE FESTA JUNINA E VINHOS FABENNE – 20/06/2022 5 DICAS PARA HARMONIZAR COMIDINHAS DE FESTA JUNINA E VINHOS A melhor época do ano chegou! E, embora a Nonna não seja maior fã do frio que faz no inverno, ela é muitíssimo fã de outra coisa (ou melhor, coisas) que acontecem durante os meses mais gelados do ano: as festas juninas e julinas, é claro! Você também ama as delícias dessas festas, mas não sabe como harmonizar tanta comida diferente com vinho? Não se preocupe! A Nonna reuniu algumas dicas de como harmonizar comidinhas de festa junina e vinho.

13 de junho – Festa de Santo Antônio 24 de junho – Festa de São João 29 de junho – Festa de São Paulo e São Pedro

Agora que você já sabe o calendário das festas juninas, é hora de saber como harmonizar as comidinhas deliciosas dessas festas com bons vinhos. Vamos lá! COMIDAS TÍPICAS E VINHOS: É POSSÍVEL HARMONIZAR? Você, como bom apreciador de vinho, com certeza já deve ter se perguntado “será que essa comida harmoniza com vinho?”, né? E a resposta para a sua pergunta, em grande parte das vezes é SIM,

Isso porque grande parte da gastronomia (seja ela qual for) pode ser harmonizada com vinho, desde que essa harmonização seja feita de forma correta. E o mesmo é válido para as comidinhas de festa junina e os vinhos. Para esse tipo de comemoração, as uvas que recebem mais indicações são: Malbec, Pinot Noir e Cabernet Sauvignon.

Isso porque apresentam rótulos agradáveis e que esquentam o corpo os festerês noturnos. VINHO TINTO E COMIDAS DE FESTA JUNINA O é como a batata frita no barzinho: democrático e agrada a todos os paladares (dos mais exigentes até os mais infantis). Por isso, é a nossa primeira opção de harmonização com comidinhas de festas juninas a aparecer por aqui.

E atenção para a dica da Nonna: o Pinot Noir é a melhor opção de vinho tinto para harmonizar com pratos típicos de festa junina. Isso porque ele é leve e combina perfeitamente com receitas à base de milho. Ah, ele também harmoniza super bem com pinhão (quem é do Paraná sabe do que a Nonna está falando).

Ou seja, se você não abre mão de um bom vinho tinto, ficam aqui as dicas:

Procure harmonizá-lo com receitas que levam milho (pamonha, pipoca, bolos) e com pinhão; Bolos, cocadas e canjicas combinam com vinhos de colheita tardia que são mais doces; Pratos com carnes vermelhas como espetinhos e churrascos vão bem com vinhos tintos possuem uma acidez maior, já que eles ajudam a quebrar a gordura.

OUTROS TIPOS DE VINHOS E SUAS HARMONIZAÇÕES Se você não é muito fã de vinho tinto, ou apenas quer aprender outras combinações que podem ser feitas com vinho tinto e branco, calma! A Nonna também preparou algumas dicas que vão te ajudar. VINHO ROSÉ Quem não gosta de uma boa taça de vinho rosé, não é mesmo? E o melhor é que você pode apreciar a sua enquanto se delicia com uma comidinha típica de festa junina como curau e pamonha doce.

Isso porque o tende a ser mais ‘adocicado’ (em alguns casos), doçura essa que harmoniza perfeitamente com o açúcar presente nesses quitutes. VINHO BRANCO Você com certeza já deve ter ouvido falar que vinho branco é quase como o par perfeito da pipoca! E o que nós temos em festa junina? Pipoca, é claro! Se você preferir uma pipoquinha básica apenas com sal, a dica da Nonna é uma boa taça de com boa acidez.

Pipoca doce caramelizada, quem resiste? Para harmonizar, a sugestão é apostar em um espumante delicado e refrescante. Leve a Fabenne com você! Ainda não sabe se vai sair para comemorar as festas juninas ou se vai fazer um arraiá em casa? Independentemente de qual seja a sua escolha, não deixe de ter vinhos da para servir aos seus amigos durante o festerê! Afinal, nossos são de 3 litros cada, dá pra você servir muuuuitas taças! E sabe aquele restinho de vinho que sobra no fim da festa (isso quando sobra, né?) Você pode guardar tranquilamente com o dispenser hermético que impede a entrada de ar, conservando o vinho (mesmo depois de aberto) por até 30 dias com a mesma qualidade.