Como Fazer Uma Carta?

Qual a melhor forma de começar uma carta?

Saudação: a saudação é a forma de cumprimentar o destinatário e deve ser adequada ao contexto. É comum utilizar expressões como ‘Prezado(a) ‘. Introdução: a introdução é a parte em que o autor apresenta o tema e a tese que será defendida na carta.

O que precisa ter em um carta?

A carta é um gênero textual de correspondência, o qual visa a estabelecer uma comunicação direta entre os interlocutores, para transmitir diferentes tipos de mensagens. Por seu contexto de circulação, as cartas podem ser divididas em:

carta pessoal carta comercial carta oficial

A carta pessoal abarca uma estrutura e linguagem mais flexível. As cartas comercial e oficial apresentam textos concisos e impessoais e com linguagem padrão. De modo geral, as cartas apresentam a estrutura: local, data, vocativo, corpo do texto, despedida e assinatura. Leia também: Carta aberta – tipo de carta específico com caráter argumentativo

O que escrever em uma cartinha?

Características e estrutura da carta pessoal – A carta pessoal é um gênero textual pouco utilizado hoje em dia, mas que já ocupou posição e função de prestígio social, pois, antes da era tecnológica/digital, ela era o único veículo de comunicação pessoal.

  • Assim, a principal característica da carta pessoal é que tanto sua motivação quanto seu conteúdo são de origem individual e subjetiva, ou seja, há um vínculo pessoal nesse gênero.
  • Ainda dentro dessa definição, as mensagens compartilhadas pela carta pessoal variam entre conteúdos de cunho amoroso, amigável, familiar e até profissional.

Entretanto, em todos esses possíveis conteúdos, marca-se a motivação pessoal, Tal variedade se aplica também aos interlocutores, visto que a carta pessoal pode ser utilizada para comunicar-se com parentes, pessoas próximas ou pessoas de relação formal/profissional.

Por outro lado, no que tange à estrutura das cartas, existem adaptações quanto às características estruturais, a depender dos interlocutores envolvidos. Assim, caso a relação se estabeleça horizontalmente (entre amigos ou entre casais), a linguagem pode ser mais informal e com marcas da oralidade. Por outro lado, caso a comunicação ocorra verticalmente (entre pais e filhos ou outras hierarquias), a carta pode apresentar um caráter mais formal e respeitoso.

Além das características contextuais, a carta pessoal se define por uma estrutura tradicional que se divide em:

Local : colocar cidade da qual se está escrevendo a carta no canto esquerdo superior da página. Data : colocar data do dia em que se escreve a carta ao lado do nome da cidade, separado por vírgula. Saudação : expressão, no centro ou canto da página, indicando um cumprimento. Vocativo : expressão para anunciar o início da conversa. Exposição do conteúdo : corpo do texto, em que o remetente expressa a mensagem que deseja comunicar. Pode conter narrativas sobre acontecimentos pessoais ou relevantes, exposição de conteúdos ou outra escolha individual do autor. Despedida : expressão que marca o fim da carta e a despedida do remetente. Assinatura : assinatura pessoal do autor da carta, ao final da página, separado do corpo do texto.

Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 É importante ressaltar que nem toda carta pessoal apresentará todos esses elementos, justamente por sua motivação subjetiva, o que libera o autor da obrigatoriedade da linguagem formal, ao mesmo tempo que abre espaço para modificações estruturais específicas e únicas, pertinentes àquela comunicação específica.

Quais os 3 tipos de carta?

Resumo sobre carta –

A carta é um texto escrito em prosa, destinado a alguém (pessoa, instituição, grupo), a fim de estabelecer-se um diálogo formal ou informal sobre determinado assunto de relevância pessoal ou coletiva. Apresenta os seguintes elementos estruturais: data, vocativo, assunto e despedida. É comumente conhecida pelos seguintes tipos: carta pessoal, carta do leitor e carta aberta, os quais se subdividem de acordo com o conteúdo e a função. Para escrevê-la, é importante definir seu tipo e o assunto a ser tratado. Assim, o autor deve organizá-la de acordo com a estrutura padrão do gênero.

Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉

Quais os dois tipos de carta?

Há três tipos básicos de carta, independente da maneira como será transmitida: a correspondência oficial e a correspondência comercial e a correspondência pessoal.

Quais são os três tipos básicos de carta?

Há três tipos básicos de carta, independente da maneira como será transmitida: a correspondência oficial e a correspondência comercial e a correspondência pessoal.

Como se termina uma carta?

Então podemos encerrar com: Atenciosamente. Respeitosamente. Cordialmente. Alguns fechos como os que se seguem: Apreciaremos sua pronta respota.

O que é uma carta pessoal?

Carta pessoal: características, estrutura e exemplo A carta pessoal é um gênero textual usado para construir diálogo entre pessoas íntimas. Sua principal característica é a presença de marcas de pessoalidade. Escrevemos uma carta pessoal quando queremos nos comunicar com alguém próximo de nós, como amigos ou familiares.

A carta pessoal é um gênero discursivo muito antigo e, ao mesmo tempo, ainda muito usado na sociedade contemporânea. Cumprindo a função básica de conectar pessoas distantes, a carta virtualizou-se, transformando-se em e-mail ou em outras tantas formas de comunicação instantânea, continuando a ser um dos mais fundamentais da humanidade,

Leia também :

Como começar uma carta de carinho?

3 Formas de Escrever uma Carta Amigável

  1. 1 Coloque a data. Na dúvida de por onde começar, comece escrevendo a data no canto esquerdo do papel. Muitas pessoas gostam de guardar as cartas por anos, e a sinalização da data é uma forma de relembrar a época em que foi escrita. Escreva a data, por exemplo: “7 de Janeiro de 2019”, ou abrevie os números indicando dia, mês e ano.
  2. 2 Escreva uma saudação. O começo da carta, seja ela escrita à mão ou digitada, é a saudação inicial. É nessa parte que você cita o nome da pessoa para quem está escrevendo, como “Querida Emília” ou “Olá, Sabrina”. De acordo com a sua relação de proximidade com o destinatário, escolha a expressão mais adequada.
    • Uma saudação mais formal, do tipo “Caro Pedro”, também é uma escolha interessante. A princípio pode parecer muito solene, mas é uma forma atenciosa de iniciar a correspondência, seja para alguém que você já conhece há muito tempo ou para um novo amigo.
    • Para dar um tom mais casual, comece com “Oi, Joana” ou “Olá, Maurício”. Esse tipo de cumprimento é mais apropriado para um amigo próximo ou parente, mas não para as cartas de negócios.
    • Escreva algo mais pessoal para alguém com quem tenha intimidade ou deseja se aproximar mais. “Querido Denis”, “Doce Vanessa” ou “Estimada Amanda” são exemplos de saudações que você pode usar.
    • Após o nome da pessoa, não esqueça de usar a vírgula e dar continuidade ao texto na linha de baixo.

    Publicidade

  1. 1 Comece com boas notícias. O primeiro parágrafo de uma carta amigável deve ter um tom acolhedor e agradável. É justamente esse início do texto que dita o tom da carta, informando ao destinatário se o conteúdo é mais leve, sério ou voltado para os negócios. Use as primeiras linhas para uma saudação mais extensa, para contar uma piada ou para falar sobre o tempo.
    • “Como você está?” ou “Como tem passado?” são as formas mais simples de começar uma correspondência. As perguntas dão à carta um tom de conversa. Caso esteja esperando uma resposta, faça outras perguntas ao longo do texto.
    • Use o primeiro parágrafo para falar sobre a vida da pessoa para quem você está escrevendo. “A Júlia está gostando da escolinha? Não dá para acreditar que aquele bebezinho cresceu e já está na escola!”.
    • Falar sobre o tempo é outra forma bastante comum de iniciar uma carta. Pense nesse parágrafo como uma forma de puxar assunto antes de partir para o tema principal. “Espero que o inverno aí esteja agradável. Aqui continua chovendo bastante e às vezes faz calor durante o dia, mas a temperatura à noite está deliciosa”.
  2. 2 Compartilhe novidades e informações pessoais. Essa é a parte do assunto principal, o propósito de você estar escrevendo a carta. Por que você está escrevendo para essa pessoa? Para retomar o contato com um amigo que não vê há muito tempo? Para mostrar o quanto sente a falta de alguém? Ou para agradecer por algo? Seja objetivo e aberto, e tente comunicar sua mensagem com clareza.
    • Fale sobre o que está acontecendo na sua vida. Independentemente de como você escreva, é bem provável que sua carta produza um grande sentimento de carinho por quem a receber. A pessoa vai se sentir mais próxima de você ao saber detalhes importantes da sua vida. Fale sobre o que aconteceu nos últimos meses, seus sentimentos e planos para o futuro.
    • Não tente criar uma imagem de vida perfeita, isso vai totalmente contra o propósito de uma carta amigável. Evite contar vantagem ao longo de toda a correspondência, isso só vai fazer seu amigo querer pular imediatamente para o final do texto. Você não precisa fazer da carta o muro das lamentações, apenas ser realista e sincero.
  3. 3 Fale sobre coisas relevantes para a pessoa. Quais eram os interesses do seu amigo na época em que vocês se falaram pela última vez? Ele estava terminando um relacionamento? Estava passando por uma fase complicada no time de futebol? Faça referências à vida dele para mostrar que se interessa e se importa.
    • Outra ideia é falar sobre interesses em comum. Fale sobre artes, política, atualidades ou qualquer outro tema que seja do agrado dos dois.
    • Dê sugestões de filmes que você assistiu ou livros que leu e recomenda. Compartilhar boas informações é sempre positivo.

    Publicidade

  1. 1 Faça as considerações finais. O último parágrafo geralmente tem um tom mais leve do que o restante da carta. Aproveite para encerrar desejando coisas boas e deixando um sentimento positivo para o seu amigo.
    • Reitere o propósito da carta. Se tiver convidado seu amigo para uma festa, escreva “Espero que você possa vir”. Caso a intenção seja apenas a de desejar coisas boas, escreva “Torço para que tudo esteja bem” ou algo com esse efeito.
    • Incentive seu amigo a responder. Escreva “Espero receber notícias suas em breve” ou “Aguardo sua resposta”.
  2. 2 Encerre. O final da carta deve transmitir o tom do restante do texto. Assim como os cumprimentos iniciais, a sua proximidade com a pessoa é o que vai determinar o desfecho. Não esqueça de assinar seu nome.
    • Para cartas mais formais, encerre com “Cordialmente” ou “Atenciosamente”.
    • Para as mais casuais, escreva “Até mais” ou “Tudo de bom”.
    • Se tiver mais intimidade com a pessoa, use “Beijos” ou “Com amor”.
  3. 3 Inclua um P.S. No P.S., o texto que segue após o encerramento da carta, as pessoas costumam escrever piadas ou coisas que não são importantes o bastante para ocupar um parágrafo. Qualquer que seja o caso, tente dar o mesmo tom do restante da correspondência. Publicidade
  • Releia o texto para verificar se não há erros de ortografia.
  • Revise antes de enviar.

Publicidade O wikiHow é uma “wiki”; ou seja, muitos de nossos artigos são escritos em parceria com várias pessoas. Para criar este artigo, 67 pessoas, algumas anônimas, editaram e melhoraram o texto desde sua criação. Este artigo foi visualizado 418 277 vezes. Categorias: Esta página foi acessada 418 277 vezes. : 3 Formas de Escrever uma Carta Amigável

Como elogiar uma pessoa maravilhosa?

Você tem um riso frouxo, alma boa e um coração enorme. Brilhante, forte, corajosa e linda são as palavras que melhor te definem. Além de deslumbrante, você também é humilde e bondosa.

Como fazer um texto em forma de carta?

Aprenda como fazer uma carta argumentativa A estrutura da carta argumentativa deve conter cabeçalho, vocativo (saudação inicial), corpo do texto (apresentação e desenvolvimento), despedida e assinatura. É apenas a indicação do local e da data em que a carta é redigida.

Quantas linhas tem que ter uma carta?

In: http://4.bp.blogspot.com/-HGDiIHdq2Hg/VCP3yY890EI/AAAAAAAA1-k/0DhtDDYr-Y0/s1600/Terminal%2B-%2BO%2BFlu.png O que é carta de leitor? A carta de leitor (ou carta ao editor) é o gênero textual que permite o diálogo entre leitor e editores de jornais e revistas, que, geralmente, mantêm uma coluna/seção específica para publicar tais cartas.

Por meio delas, o leitor manifesta sua opinião acerca de matéria veiculada, geralmente, em edições recentes do jornal ou da revista. A carta do leitor pode, ainda, elogiar a edição, sugerir a tomada de decisões ou registrar um protesto. Como fazer? Ainda que comumente não vemos a moldura da carta de leitor nos jornais e revistas – isso por motivo óbvio, qual seja, a economia de espaço – ela tem estrutura semelhante à das outras cartas: local, data, vocativo, apresentação do remetente, síntese do assunto (matéria da pág.

XX, da edição de nº XX), discussão/impressões do leitor/remetente, despedida e assinatura. Não contém título e geralmente é conduzida na 1ª pessoa do singular. Quando o enunciado da proposta não trouxer um limite, a carta de leitor deve ser escrita em, aproximadamente, 30 linhas.

  1. Exemplo A carta de leitor a seguir foi publicada na Revista Veja de Abril/2008.
  2. Observemos que o editor cortou a moldura da carta e publicou apenas o miolo – que, de fato, dialogava com a matéria que a autora pretendia comentar.
  3. O título, obviamente, não é da carta, mas da matéria.
  4. Insegurança nas escolas A reportagem “Medo nas escolas” (9 de abril) aborda um tema frequente na vida da maior parte dos jovens brasileiros.

O mundo tornou-se excessivamente perigoso e a violência se faz presente em todos os lugares. As escolas, que deveriam ser seguras e tranquilas, passaram de locais de aprendizagem para cenário de temor constante. A violência internalizou-se em cada pessoa e está fazendo com que inocentes sofram.

Tornou-se comum ouvirmos que uma criança foi atingida por uma bala perdida perto do colégio em que estudava ou que houve um assassinato dentro da própria escola. Além disso, é trágico que a segurança tenha se transformado em critério de escolha; os pais deveriam escolher as instituições em que seus filhos estudam pela qualidade do ensino, e não pela segurança que elas oferecem.

É, portanto, indispensável que o combate à violência seja feito de modo eficaz. A paz almejada por muitos brasileiros pode se concretizar apenas com a construção diária da segurança da população.L.R. – 15 anos. Montes Claros, MG, Veja, 16/4/2008.

Como fazer uma cartinha para amigos?

Baixe em PDF Baixe em PDF Graças à internet, a comunicação ficou muito mais rápida e fácil. Mensagens instantâneas, vídeo-mensagens, e-mails, tudo isso fez com que deixássemos o papel e a caneta na gaveta. Mas, nenhuma dessas opções é tão pessoal como uma boa e velha carta escrita à mão.

  1. 1 Pense no propósito dela. Existem vários motivos para escrever para um amigo. Vocês podem estar colocando as novidades em dia, contando algo superlegal que aconteceu recentemente ou só querem saber como estão, mesmo.
    • Se faz um tempo que não recebe nada do seu amigo, pergunte se está tudo bem com ele.
  2. 2 Coloque local e data. Escreva seu endereço atual no canto superior esquerdo do papel. É bom colocar essa informação, pois vai que ele perdeu seu endereço. Também é legal escrever a data, para dar um pouco mais de referência ao que você estiver contando.
    • Se sempre escrevem um para o outro, por exemplo, é bom colocar as datas, para que saibam do que estão falando.
  3. 3 Pense no tamanho da carta. Se quiser mandar só um recadinho, então dá para usar só um cartão. Senão, use folhas normais, mesmo.
    • Se acha que um cartão normal não será suficiente, compre um maior. Assim, dá para colocar tudo o que estava querendo contar.
  4. 4 Decida entre escrever ou digitar a carta. Se quiser deixá-la ainda mais pessoal (e sua letra ajudar), aposte no papel e caneta. Senão, pode usar o computador, mesmo. Afinal, o que importa é o conteúdo e a amizade de vocês. Dica: Se a carta for para uma pessoa mais velha, é melhor digitar para facilitar a leitura.
  5. 5 Escolha a saudação. Como está escrevendo a um amigo, seja bem informal. Você pode chamar a pessoa pelo nome ou apelido, como preferir. Se quiser, também dá para colocar um toque de energia, fazendo assim:
    • “Olá, Mariana!”
    • “Oi, Mari!”
    • “Querida Mariana,”
    • “Minha querida Mari,”

    Publicidade

  1. 1 Cumprimente o destinatário. Depois de ter feito a saudação, escreva uma ou duas linhas cumprimentando seu amigo, antes de passar para o corpo da carta. Pense nisso como a introdução da conversa, escrevendo algo assim:
    • “Espero que esteja bem.”
    • “Obrigado pela última carta.”
    • “Eu sei que já faz um tempo que não escrevo.”
    • “Tem tanta coisa que preciso contar!”
  2. 2 Comece pelo ponto principal. Deixe seu amigo atualizado sobre tudo o que vem acontecendo na sua vida, contando sobre aquela viagem que você fez ou explicando algo que aconteceu recentemente. Sempre que for mudar de assunto, comece um novo parágrafo para deixar a carta mais organizada.
    • Dá para escrever uns dois ou três parágrafos sobre aquela viagem que fez nas férias, por exemplo. E, depois mais um sobre o que andou fazendo depois disso.
    • Se não souber bem do que escrever, não invente muito. Fale sobre o último filme que assistiu, sobre o livro que está lendo, essas coisas.
  3. 3 Passe a bola para o destinatário. Depois de ter contado tudo sobre você, como está se sentindo e outras novidades, responda ao que seu amigo disse na última carta. Assim, vocês mantêm a conversa viva.
    • Se faz um tempo que seu amigo não escreve, mencione esse fato na carta, perguntando o que ele andou fazendo.
    • Você pode dizer, por exemplo: “na última carta, você disse que não estava muito bem. Deu para ir ao médico? Já está melhor?”

    Dica: Você também pode comentar sobre coisas que ele falou. Diga, por exemplo: “não acredito que você já vai se formar! Acho que é hora de aceitar aquele emprego para morar aqui perto, você não acha?”

  4. 4 Faça perguntas que encorajem um diálogo. Depois de deixar o destinatário a par da sua vida, direcione a conversa, para que ela continue. Essa parte é ainda mais importante se você quer que ele dê algum conselho.
    • Diga algo do tipo “agora que contei tudo, o que você acha que eu devo fazer sobre o que aconteceu?”
    • Se não souber bem o que perguntar, seja mais abrangente. Diga, por exemplo, “e aí, como estão as coisas? Alguma novidade?”
  5. 5 Escreva a carta com um tom informal. Ponha um pouco de personalidade no discurso, usando um estilo próprio. Se quiser, use gírias, piadas internas, faça referências a pessoas que conhecem e por aí vai.
    • O tom da carta deve corresponder ao tema. Se estiver contando sobre um fim de semana superdivertido, escreva de forma leve e descontraída. Mas, se o assunto for mais pesado, mantenha um tom sério.

    Dica: Para saber se a carta está soando natural, leia em voz alta e vá arrumando, se precisar. Publicidade

  1. 1 Encaminhe-a para o desfecho. Depois de escrever tudo o que você queria e perguntar sobre seu amigo, finalize a carta. Para isso, é legal escrever algo sobre a amizade de vocês, deixando a porta aberta para as próximas correspondências.
    • Se estiver longe, termine assim: “estou amando aqui, mas seria muito melhor se você estivesse comigo. Mal posso esperar para nos vermos quando eu voltar!”
    • Se brigaram, escreva algo do tipo: “eu sei que estamos passando por um período difícil agora, mas quero que saiba que estou muito feliz que estejamos tentando resolver as coisas.”
  2. 2 Finalize a carta. Escolha um cumprimento para terminar, seguido de vírgula e assine seu nome na linha de baixo. Para um toque mais pessoal, escreva seu nome à mão. Senão, pode carimbá-lo ou digitá-lo, mesmo. Para fechar a carta, use uma dessas fórmulas:
    • “De seu amigo,”
    • “Com amor,”
    • “Beijos e abraços,”
    • “Com carinho,”
    • “Se cuide,”
    • “Um beijo,”
  3. 3 Revise a carta. Depois de terminá-la, dê um tempinho e a leia outra vez, procurando erros gramaticais ou de escrita. Se não tiver muito tempo, digite-a no computador e passe o corretor ortográfico.
    • É bom dar uma última lida na carta, para ver se está tudo certo. Lembre-se de que não dá para transferir o tom de voz para o papel, então às vezes a outra pessoa pode interpretar mal algo que você escreveu.
  4. 4 Escreva seu endereço e o do destinatário no envelope. O dele vai no verso do envelope (a parte que tem a abinha para fechar) e você deve começar pelo nome completo do seu amigo. Na linha de baixo, coloque a rua e o número da casa e, em baixo, a cidade, o Estado e o CEP. Do outro lado do envelope, coloque todas as suas informações, seguindo o mesmo formato.
    • Se o remente mora em outro país, não se esqueça de colocá-lo junto com o endereço.
  5. 5 Coloque o selo na carta e envie. Para saber direitinho como fazer, o melhor é ir até o correio mais próximo de você e eles mesmo fazem todo o processo. Mas, normalmente, o selo é colocado no canto superior direito do envelope e você não pode esquecer de fechá-lo, também. Depois é só enviar!
    • Se estiver mandando a carta de outro país, pode colocá-la nessas caixas de correio que ficam na rua.
    • Se for mandar algo mais com a carta ou ela estiver supergrossa, pese-a no correio antes de enviar.

    Dica: Para saber quanto custa mandar a carta, faça uma busca on-line, no site do próprio Correio, ou pesquise “custo envio carta “. Publicidade

  • Mesmo que a carta seja sobre um assunto pesado, sempre use uma linguagem respeitosa e amigável. Diferente do que é dito da boca para fora, o que está escrito na carta não some com o vento. Se você disser algo desagradável, que machuque alguém, essas palavras continuarão lá, para que o destinatário leia e releia quantas vezes quiser.
  • Se a carta for muito formal, é melhor fazer um rascunho primeiro. Quando curtir o resultado, passe-a para o papel, definitivamente, usando sua melhor letra.
  • Se a carta ficar muito comprida, com mais de duas páginas, é bom numerá-la (ex.: 1 de 3, 2 de 3, 3 de 3). As folhas podem acabar embaralhando e seu amigo não entenderá nada.

Publicidade Esta página foi acessada 202 688 vezes.

O que é uma carta informal?

Carta informal – Tal como o próprio nome indica, a carta informal é utilizada quando queremos dirigir-nos a pessoas que são nossas conhecidas. A carta informal não precisa de obedecer a estruturas próprias, ao contrário da carta formal. Neste tipo de carta, as pessoas poderão escrever sem grandes preocupações linguísticas.

Como se escreve uma carta para um amigo?

Baixe em PDF Baixe em PDF Graças à internet, a comunicação ficou muito mais rápida e fácil. Mensagens instantâneas, vídeo-mensagens, e-mails, tudo isso fez com que deixássemos o papel e a caneta na gaveta. Mas, nenhuma dessas opções é tão pessoal como uma boa e velha carta escrita à mão.

  1. 1 Pense no propósito dela. Existem vários motivos para escrever para um amigo. Vocês podem estar colocando as novidades em dia, contando algo superlegal que aconteceu recentemente ou só querem saber como estão, mesmo.
    • Se faz um tempo que não recebe nada do seu amigo, pergunte se está tudo bem com ele.
  2. 2 Coloque local e data. Escreva seu endereço atual no canto superior esquerdo do papel. É bom colocar essa informação, pois vai que ele perdeu seu endereço. Também é legal escrever a data, para dar um pouco mais de referência ao que você estiver contando.
    • Se sempre escrevem um para o outro, por exemplo, é bom colocar as datas, para que saibam do que estão falando.
  3. 3 Pense no tamanho da carta. Se quiser mandar só um recadinho, então dá para usar só um cartão. Senão, use folhas normais, mesmo.
    • Se acha que um cartão normal não será suficiente, compre um maior. Assim, dá para colocar tudo o que estava querendo contar.
  4. 4 Decida entre escrever ou digitar a carta. Se quiser deixá-la ainda mais pessoal (e sua letra ajudar), aposte no papel e caneta. Senão, pode usar o computador, mesmo. Afinal, o que importa é o conteúdo e a amizade de vocês. Dica: Se a carta for para uma pessoa mais velha, é melhor digitar para facilitar a leitura.
  5. 5 Escolha a saudação. Como está escrevendo a um amigo, seja bem informal. Você pode chamar a pessoa pelo nome ou apelido, como preferir. Se quiser, também dá para colocar um toque de energia, fazendo assim:
    • “Olá, Mariana!”
    • “Oi, Mari!”
    • “Querida Mariana,”
    • “Minha querida Mari,”

    Publicidade

  1. 1 Cumprimente o destinatário. Depois de ter feito a saudação, escreva uma ou duas linhas cumprimentando seu amigo, antes de passar para o corpo da carta. Pense nisso como a introdução da conversa, escrevendo algo assim:
    • “Espero que esteja bem.”
    • “Obrigado pela última carta.”
    • “Eu sei que já faz um tempo que não escrevo.”
    • “Tem tanta coisa que preciso contar!”
  2. 2 Comece pelo ponto principal. Deixe seu amigo atualizado sobre tudo o que vem acontecendo na sua vida, contando sobre aquela viagem que você fez ou explicando algo que aconteceu recentemente. Sempre que for mudar de assunto, comece um novo parágrafo para deixar a carta mais organizada.
    • Dá para escrever uns dois ou três parágrafos sobre aquela viagem que fez nas férias, por exemplo. E, depois mais um sobre o que andou fazendo depois disso.
    • Se não souber bem do que escrever, não invente muito. Fale sobre o último filme que assistiu, sobre o livro que está lendo, essas coisas.
  3. 3 Passe a bola para o destinatário. Depois de ter contado tudo sobre você, como está se sentindo e outras novidades, responda ao que seu amigo disse na última carta. Assim, vocês mantêm a conversa viva.
    • Se faz um tempo que seu amigo não escreve, mencione esse fato na carta, perguntando o que ele andou fazendo.
    • Você pode dizer, por exemplo: “na última carta, você disse que não estava muito bem. Deu para ir ao médico? Já está melhor?”

    Dica: Você também pode comentar sobre coisas que ele falou. Diga, por exemplo: “não acredito que você já vai se formar! Acho que é hora de aceitar aquele emprego para morar aqui perto, você não acha?”

  4. 4 Faça perguntas que encorajem um diálogo. Depois de deixar o destinatário a par da sua vida, direcione a conversa, para que ela continue. Essa parte é ainda mais importante se você quer que ele dê algum conselho.
    • Diga algo do tipo “agora que contei tudo, o que você acha que eu devo fazer sobre o que aconteceu?”
    • Se não souber bem o que perguntar, seja mais abrangente. Diga, por exemplo, “e aí, como estão as coisas? Alguma novidade?”
  5. 5 Escreva a carta com um tom informal. Ponha um pouco de personalidade no discurso, usando um estilo próprio. Se quiser, use gírias, piadas internas, faça referências a pessoas que conhecem e por aí vai.
    • O tom da carta deve corresponder ao tema. Se estiver contando sobre um fim de semana superdivertido, escreva de forma leve e descontraída. Mas, se o assunto for mais pesado, mantenha um tom sério.

    Dica: Para saber se a carta está soando natural, leia em voz alta e vá arrumando, se precisar. Publicidade

  1. 1 Encaminhe-a para o desfecho. Depois de escrever tudo o que você queria e perguntar sobre seu amigo, finalize a carta. Para isso, é legal escrever algo sobre a amizade de vocês, deixando a porta aberta para as próximas correspondências.
    • Se estiver longe, termine assim: “estou amando aqui, mas seria muito melhor se você estivesse comigo. Mal posso esperar para nos vermos quando eu voltar!”
    • Se brigaram, escreva algo do tipo: “eu sei que estamos passando por um período difícil agora, mas quero que saiba que estou muito feliz que estejamos tentando resolver as coisas.”
  2. 2 Finalize a carta. Escolha um cumprimento para terminar, seguido de vírgula e assine seu nome na linha de baixo. Para um toque mais pessoal, escreva seu nome à mão. Senão, pode carimbá-lo ou digitá-lo, mesmo. Para fechar a carta, use uma dessas fórmulas:
    • “De seu amigo,”
    • “Com amor,”
    • “Beijos e abraços,”
    • “Com carinho,”
    • “Se cuide,”
    • “Um beijo,”
  3. 3 Revise a carta. Depois de terminá-la, dê um tempinho e a leia outra vez, procurando erros gramaticais ou de escrita. Se não tiver muito tempo, digite-a no computador e passe o corretor ortográfico.
    • É bom dar uma última lida na carta, para ver se está tudo certo. Lembre-se de que não dá para transferir o tom de voz para o papel, então às vezes a outra pessoa pode interpretar mal algo que você escreveu.
  4. 4 Escreva seu endereço e o do destinatário no envelope. O dele vai no verso do envelope (a parte que tem a abinha para fechar) e você deve começar pelo nome completo do seu amigo. Na linha de baixo, coloque a rua e o número da casa e, em baixo, a cidade, o Estado e o CEP. Do outro lado do envelope, coloque todas as suas informações, seguindo o mesmo formato.
    • Se o remente mora em outro país, não se esqueça de colocá-lo junto com o endereço.
  5. 5 Coloque o selo na carta e envie. Para saber direitinho como fazer, o melhor é ir até o correio mais próximo de você e eles mesmo fazem todo o processo. Mas, normalmente, o selo é colocado no canto superior direito do envelope e você não pode esquecer de fechá-lo, também. Depois é só enviar!
    • Se estiver mandando a carta de outro país, pode colocá-la nessas caixas de correio que ficam na rua.
    • Se for mandar algo mais com a carta ou ela estiver supergrossa, pese-a no correio antes de enviar.

    Dica: Para saber quanto custa mandar a carta, faça uma busca on-line, no site do próprio Correio, ou pesquise “custo envio carta “. Publicidade

  • Mesmo que a carta seja sobre um assunto pesado, sempre use uma linguagem respeitosa e amigável. Diferente do que é dito da boca para fora, o que está escrito na carta não some com o vento. Se você disser algo desagradável, que machuque alguém, essas palavras continuarão lá, para que o destinatário leia e releia quantas vezes quiser.
  • Se a carta for muito formal, é melhor fazer um rascunho primeiro. Quando curtir o resultado, passe-a para o papel, definitivamente, usando sua melhor letra.
  • Se a carta ficar muito comprida, com mais de duas páginas, é bom numerá-la (ex.: 1 de 3, 2 de 3, 3 de 3). As folhas podem acabar embaralhando e seu amigo não entenderá nada.

Publicidade Esta página foi acessada 202 688 vezes.

O que é uma carta pessoal?

Carta pessoal: características, estrutura e exemplo A carta pessoal é um gênero textual usado para construir diálogo entre pessoas íntimas. Sua principal característica é a presença de marcas de pessoalidade. Escrevemos uma carta pessoal quando queremos nos comunicar com alguém próximo de nós, como amigos ou familiares.

  • A carta pessoal é um gênero discursivo muito antigo e, ao mesmo tempo, ainda muito usado na sociedade contemporânea.
  • Cumprindo a função básica de conectar pessoas distantes, a carta virtualizou-se, transformando-se em e-mail ou em outras tantas formas de comunicação instantânea, continuando a ser um dos mais fundamentais da humanidade,

Leia também :

Como fazer uma carta remetente e destinatário?

Você pode escrever os dados do remetente e destinatário em uma folha de papel (a mão ou impresso) e colar na caixa. Nesses casos, o mais indicado é que o remetente seja fixado na parte de baixo e destinatário na parte de cima do pacote.